sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Mais de Viena

17/10/2013

O dia estava chuvoso e fui em direção a Rathaus, a prefeitura de Viena, na Rathausplatz. O prédio é enorme e bem bonito, não sei se é possível visitar por dentro pois estava tudo fechado e me contentei com a vista externa do prédio.

Rathaus

Se de frente pra Rathausplatz fica o Rathaus, de um lado fica uma universidade e do outro o Parlamento e foi na direção do parlamento que segui, de época e estilo arquitetônico diferente mas ainda interessante.
Parlamento

Em frente ao parlamento fica o modesto jardim de Volksgarten que vale a pena entrar pois seguindo por ele saí em frente ao Hofsburg com uma bela visão do palácio, ótima pra fotos panorâmicas.
Hofsburg

Segui mais uns poucos metros e estava na BurgRing. A região central de Viena forma um tipo de anel com a Ring como rua principal, que vai mudando de prefixo conforme se avança. Nesse momento estava na Burg ring em frente ao museum quartier, um complexo cercado pelas luxuosos e belos prédios do Museu de Belas Artes e Museu de Historia Natural de Viena.
Dentro do complexo há diversos outros museus como o de Arte Moderna, Museu de Arquitetura e o Fórum de Design. Não entrei em nenhum deles, dei uma volta pelo complexo e voltei a Ring seguindo pela BurgRing, OperRing ( nas proximidades do teatro da opera) e KartnerRing ( nas proximidades da Karlsplatz).

Ring
Museum Quartier



Peguei então a Kartner até a Karlsplatz, principal praça do centro de Viena. A Karlsplatz é uma grande praça que não é muito bonita mas onde fica a Karlskirche ou Igreja de São Carlos Bartolomeu.
Do outro lado, oposto a igreja, do outro lado da praça, fica o prédio com a bola dourada chamado Secession onde ocorrem exposições de arte contemporânea.
Karlskirche

Secession

Bem ao lado do Secession tem inicio o Naschmarkt, una feira ao ar livre onde se vende frutas, doces, lanches e ha vários restaurantes sendo uma ótima opção pra almoço. Foi la que provei ( e gostei) meu primeiro falafel com húmus.
Naschmarkt


Depois do lanche, tinha anotado que deveria pegar o metro ate a Landstrabe Mitte e ir a um lugar na Kosselgage 34. Apesar de nao lembrar porque tinha anotado aquilo e porque deveria ir la, foi um bela supresa, o local é onde fica a Hundertwasserhauss, um prédio colorido muito fofo, onde em frente fica a Hundertwasser Village com varias lojinhas de souvenir e 1 galeria de arte sendo um ótimo local pra comprar souvenir em Viena.
Hundertwasserhauss 

Hundertwasser Village


Saindo de la ainda tive disposicao pra ir a Mariahilfstrabe nas proximidades do Museum Quartier, rua cheia de lojas sendo também uma ótima opção de compras. Andei um pouco por ela e depois voltei pro hotel. A noite experimentei um pub crawl em Viena, que apesar de não ter sido um real pu crawl valeu muito a pena.

domingo, 22 de dezembro de 2013

A Elegância de Viena

16/10/2013

Gardner

Nota mental: Nunca mais comprar passagens antes das 8h. Como dói acordar cedo, quando o sol ainda nem saiu. A vantagem foi que cheguei em Viena por volta de 10:15 e como meu hotel ficava ao lado da estacão de trem foi só atravessar a rua. Boa impressão do hotel, tomei banho e fui conhecer Viena. Primeiro destino: Hofsburg
Hofsburg é um grande complexo que foi a principal residencia dos Hausburg, dinastia que imperou em Viena por séculos ate o inicio da república no seculo XX. Abriga, atualmente, diversas atrações como o Museu Sisi, dedicado a polêmica imperatriz Elizabeth, a Escola Espanhola de Equitação.(onde se pode assistir os treinos pagos pela manha), e ainda é a residencia oficial do presidente da Áustria.
Hofsburg

Hofsburg

Nesse dia eu comprei o Sisi Ticket que dá direito a visita ao museu Sissi, aos apartamentos em Hofsburg e aos apartamentos no palácio de Schonbrunn.
O tour começa com a visita a coleção de prataria dos Hausburg, o que é bem impressionante, mas chega um momento em que ver facas e colheres torna-se cansativo e repetitivo. Segue, então pelo museu Sissi, um museu muito interessante sobre um imperatriz que pela minha ignorância não conhecia e que adorei saber a história dela. Como o objetivo do post não é uma aula sobre essa Imperatriz, quem tiver mais interesse é só ir ao Museu, ou ao menos ao Google. Depois segue pelos apartamentos onde habitavam os imperadores. Não gosto de comparação com outros palácios que já visitei, afinal cada local tem sua história própria e isso é o que mais me fascina em viagens. Este apesar de não ter sido meu palácio preferido ainda vale uma visita.
De Hofsburg segui pelo centro de Viena pegando a rua Gardner, uma das principais e mais belas ruas da cidade, abrigando diversas lojas e cafés.
Gardner

Gardner

Gardner

Segui por ela ate chegar a Stephanplatz, praça que abriga a principal catedral de Viena, a Gótica de Saint Stephan, que entrei pra pra uma visita rápida já que as igrejas góticas me impressionam muito mais por fora que por dentro.

Saint Stephan\

Saint Stephan
Saint Stephan





A poucos passos da Stephanplatz fica a Peterplaz com a igreja de São Pedro que apesar de relativamente pequena é bem luxuosa por dentro e ao contrario da St Stephan, impressiona mais por dentro do que por fora
St Peter

A ultima visita do dia foi ao Albertina, um museu de arte moderna e contemporânea que fica atrás do Teatro da Opera, e faz parte do complexo Hofsburg. As quartas o museu fica aberto ate as 21h e . Fiquei um pouco decepcionada com o museu. No dia que fui estavam tendo apenas 3 curtas exposições abertas: Uma de fotografia russa contemporânea, bem interessante, uma do Henri Matisse e seus colegas sobre favismo que adorei, e uma de arte contemporânea que não gostei muito. Achei que tinha muito pouca coisa pra ser vista, não sei se é assim sempre mas isso me frustrou um pouco. E assim terminou meu primeiro dia em Viena.Depois disso, voltei a Stephanplatz, o coração de Viena, onde peguei a Kartner, outra importante rua do centro da cidade, ótima pra quem gosta de compras porque é cheia de lojas ou simplesmente pra passear. Segui ate o fim da Kartner chegando no teatro da opera de Viena, um grande e belo prédio que infelizmente não conheci por.dentro. Existe a opção de visitas guiadas mas o que eu queria era assistir a um espetáculo lá, mas a não ser que se pague o triplo na hora, os ingressos devem ser comprados com muita antecedência no site.
Teatro da Ópera de Viena
Albertina



segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Mais de Budapeste

15/10/2013

Ponte da Liberdade

Ultimo dia em Budapeste. Dia de fazer tudo que não foi possível fazer nos dias anteriores. Comecei indo a ponte Margarida, ou Margit. É uma ponte amarela no fim da rua Szent István. No meio dessa ponte há uma outra ponte menor que leva a Ilha Margarida. Esta é uma pequena ilha parque no meio do Danúbio, onde os húngaros correm, levam as crianças pra passear, andam de bicicleta e fazem piqueniques. A ilha ainda tem uma fonte que a cada hora faz espetáculos musicais de 10 minutos, bem bonitinhos. Com as folhas amarelas caídas em todo local, a ilha estava um espetáculo no outono, um local que merece ser visitado.
Ilha Margarida

Ilha Margarida

Ilha Margarida

video


Ilha Margarida

Boatbus

Ilha Margarida

Ilha Margarida

Saindo de lá, estava eu de volta a Andrassy utca. Ainda havia um local a ser visitado lá, a Casa do Terror, um edifício que antes foi sede dos nazistas e depois do partido comunista, onde muitos foram brutalmente torturados. Atualmente foi transformada num museu interativo que conta essa historia de maneira muito interessante, valendo muito a pena conhecer.
Casa do Terror


De la peguei o metro novamente ate próximo a grande sinagoga de Budapeste, a maior sinagogas da Europa, que fica no gueto judeu. E então segui novamente andando ate o Mercado Central e dessa vez atravessei a ponte da Liberdade ate o outro lado do Danúbio, no lado Buda.
Bem em frente a ponte fica o famoso hotel Gellert e Não queria deixar Budapeste sem experimentar antes suas famosas termas.

Fui pro lugar certo


Colina Gellert

Ponte da Liberdade

Hotel e Termas Gellert

Bom, a principio eu achei que estivesse apenas pagando muito pra tomar banho de piscina, mas depois fui conhecendo melhor o local e vendo que la existem diversos espaços, alguns bem bonitos e piscinas tanto externas como internas com diferentes temperaturas. Fiquei cerca de 3h la dentro, e a piscina que mais me agradou foi a interna a 36 graus. Nas termas, a não ser que você queira pagar 750F pelo aluguel de uma toalha aconselho que leve a sua, levar chinelos pode ser uma opção também.
Meu plano inicial era ficar la ate umas 8h e depois tentar tirar umas fotos noturnas da cidade, que fica linda a noite, com uma iluminação fantástica mas acabei ficando até muito tarde conversando com um francês muito simpático e depois como estava morrendo de fome fomos jantar. No fim já era tarde, passava de meia noite, estava cansada e só queria dormir.


Nessa ultima noite na cidade descobri que no gueto judeu na rua Kiraly 13 existe uma especie de galeria ou rua com vários barzinhos sendo um local bem animado pra passar a noite.
Impressões finais de Budapeste: é uma cidade que a sua maneira, com os prédios escuros muito parecidos, herança do seu passado na URSS, é uma cidade bonita, barata, com lugares encantadores. As pontes atravessando o Danúbio, ligando e ao mesmo tempo separando Buda e Peste, dão um charme especial a cidade, em especial a noite com uma iluminação noturna linda.
A noite em Budapeste é bem animada com muitas opções de lugares e os ruins bar são um must see. O povo húngaro não parece transbordar simpatia mas no geral não tive problemas. É uma cidade que gostei bastante, pretendo voltar e deu saudades ao partir.


sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

O Lado Peste de Budapeste

14/10/2013


Margem do Danúbio, Vista de Buda

O dia começou com a visita ao belo prédio do Parlamento Húngaro. As visitas são pagas e agendadas pelo site. Como os arredores do prédio estavam em obras, a melhor visão que se tem do Parlamento acaba sendo do lado Buda. A visita em si é de curtissíma duração, cerca de 30 minutos com um guia, mas o prédio não decepciona por dentro.
Parlamento Húngaro

Parlamento Húngaro

Segui então, beirando o Danúbio até a Andrassy ut. Já tinha ido no dia anterior mas era domingo e estavam todas as lojas fechadas. Pra estilo de comparação embora com menos glamour, essa avenida seria a Champs Élysées de Budapeste, cheia de grifes, de cafés e restaurantes. Até o Octogon, a parte que concentra a maior quantidade de bares, em especial na Liszt Ferenc tér, é bem comercial, mas depois a rua vai se tornando mais residencial.
Ponte das Correntes



São Estevão e Andrassy ut

Andrassy ut

Andrassy ut

É nessa larga avenida que se encontram o Teatro da Ópera de Budapeste e a Casa do Terror, um museu interativo sobre os tempos de dominação soviética, muito interessante.
Fui andando até o final da avenida onde encontra-se uma larga praça, a Praça dos Heróis, cercada pelo Museu de Belas Artes e o Palácio das Artes.
Praça dos Heróis

Atrás da praça começa o Városliget, o parque da cidade, enorme e belíssimo no outono, com as arvores amarelo alaranjadas e um mar de folhas no chão. Foi um local ótimo pra se passear.
O parque contem ainda o castelo de Vajdahunyad que atualmente abriga um museu de agricultura, um lago que congela no inverno e permite patinação, um zoológico, um parque de diversões e uma das famosas termas  Szechenyí.
Városliget

Városliget

Városliget

Városliget

Városliget
Városliget - Termas Szechenyí  




Depois de um tempo amando o parque, peguei o metro lá dentro mesmo e voltei ao centro da cidade na praça Vorosmaty Tér que também concentra muitos restaurantes e segui pela Vaci utca, famosa rua de Budapeste cheia de restaurantes e lojas de souvenir.
Vaci ut

A rua é atravessada pela ponte Elizabeth e ao fim dela está a belíssima ponte da Liberdade, ao lado do famoso Mercado Central de Budapeste que é um bom local pra comer e o melhor local pra comprar souvenir na cidade. Do outro lado da ponte, atravessando o Danúbio fica a coluna Gellert e embaixo dela o famoso hotel Gellert com suas termas, considerada a melhor de Budapeste. Nesse dia decidi não atravessar a ponte, e deixei pro dia seguinte.
Ponte Elisabeth

Mercado Central

Mercado Central

Ponte da Liberdade

Ponte da Liberdade


Mercado Central

Mercado Central

Mercado Central

Além de não estar com roupa de banho, queria descansar um pouco antes de sair mais tarde.
A noite fui conhecer num Pub Vrawl os famosos Ruins Bars em Budapeste. Sao bares que ficam em predios bem velho por fora mas que por dentro tem uma decoracao super cool, sendo bem animados. Foi um pub crawl bem interessante pelas ruas do guetto judeu da cidade. A noite em budapeste é excelente, não faltando bons locais pra ir.